quarta-feira, 26 de abril de 2017

Gesta



No crescer pequenino ser,
O mistério da vida me cativa,
Olhos lacrimejam, o peito se aperta,
O estomago entra em uma ebulição sem fim,
Uma mistura de alegria, medo e insegurança, 
Um sopro dará à vida... Positivo!
Embrião de sonhos nossos gerados,
Um tão pouco sendo a maior parte de mim,
Renascemos na existência desse novo ser,
Uma vida novinha em folha,
Frágil, fino, sutil, a leveza do mais delicado.
Admiravelmente tudo passa veloz,
Sentimentos em fase de crescimento,
Um novo amor é efeito de gerir,
Casulo que gesta,
Uma casa de pele de só afeto.
Ninho da pequena iaiá...

Se chegue Mariah... 

Pedro Drope (20/04/2017)

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Desalinhados e iguais



Conversas de leve, sorrisos pequenos e algumas caronas,
Amigos bons e um pouco de confiança,
Sem segredos, sem percepção e nem atração,
Tudo normal e só...

Um vacilo e tudo se transforma,
Quem sabe um acaso da vida,
Retrato que escapa e se faz percebida,
Como concebida, livre e nua.
Muda tudo...

As mãos tremem em cima do teclado,
O coração acelera,
Chega o frio da minha vontade,
Nervosismo e os pensamentos a mil,
Tão perto sem conhecimento,
Sem saber permite ser notada.
E passa ser encanto.
E pronto! Tudo muda.

Confiança aumenta,
Aquece as conversas,
Um perceber quando o outro não percebe,
Observa quando o outro não sabe.
Tudo esconde, encobre ou camufla,
 Nada real, tudo imaginação de um ser virtual,
  
Um começo...
Jogos de segredos,
Detalhes a cada pergunta,
Surpreende com as respostas,
Cria vontades e nutre os desejos,
Um escambo de percepções e detalhes,
Esquenta a troca de palavras,
Um aqui e outro ali,  
Em quartos e camas quentes e distantes,
Religados por um sinal,
A tela que ora separa agora nos junta,
Cada toque, cada imaginação ao se tocar,
Respiração pesada, folego que falta,
Gemidos que se espremem,
Pulsa entre as penas que se apertam, se travam,
Te escuto bem junto ao ouvido, como se estivesse aqui perto,  
Sentimos um ao outro como se passássemos a ser apenas um,
Bem perto, bem forte, bem um.
Arrepia as costas e perto do pescoço,
Um sentir sem fim...
Enfim desaguamos... Juntos!!
Tudo que estava preso.
Como se tivesse na mesma cama.  
E ficamos...

Mudos!!!

Pedro Drope (20/03/2006)

terça-feira, 26 de julho de 2016

Desafio

Seguindo o desafio segue as 18 dicas que o Pedro de hoje daria para Pedro de 18 anos.

1- Nunca venda um dia das suas férias; (Você sempre precisará muito deles, mesmo que você não note)

2- Lute sempre contra o ciúme. Ele é o “câncer do amor”

3- Se puder, alugue casa para o Carnaval de Olinda e no FIG. (Você aproveitará muito mais)

4- Nunca compre carro antes de comprar um lugar para você
morar. (Viver de Aluguel será péssimo)

5- Sempre gaste menos do que você ganha. (O inverso a conta nunca vai bater)

6- Tente nunca ter cartão de crédito e nem comprar no cartão dos outros.

7 – Estude, estude, estude música bastante e depois vá ter banda. (Nunca o contrário)

8 – Busque qualquer tipo de arte que possa nascer de você. (Te fará uma pessoa melhor)

9 – Nunca viva uma relação amorosa empurrando com a barriga (ela pode estragar os melhores anos da sua vida)

10 – Nunca se embriague (Não dê trabalho a alguém. Segure sua onda), se puder não beba e não fume.

11 - Nunca empreste dinheiro ou seu instrumento musical (você perderá um amigo em breve)

12 – Aprenda a dizer NÃO.

13 – Viva a vida que você escolhe para você viver. (A que os outros escolhem não te fará bem nunca)

14 – Nesse momento você é incendiário, quando ficar mais velho será bombeiro. (Calma, você será mais flexível e deve respeitar a liberdade do outro)

15 – Saiba se comunicar com o olhar (é uma linguagem que fala muito ao íntimo)

16 – Evite mentir para as pessoas que você ama (Pode te custar 3 anos da sua vida ou mais)

17 – Nas relações amorosas viva sempre o "comum acordo". (o que foi acordado pelo casal é o que vale. seja uma relação livre ou não)

18 – Escreva sempre o que você pensa. (Um dia você vai ler e verá sua evolução)
****************************************

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Presença



Hoje teu gosto me veio à boca,
Como se a gente nem fosse passado ou ausência,
E tudo tivesse parado no tempo,
Percebo em mim um tanto de você,
A língua, o sabor, o toque e o riso,

Pequena.... Vira e mexe sinto teu cheiro do nada,
Não é questão de fragrância do perfume,
É um meio, cheiro presença do meu lado,
Tem dias que tenho certeza de ouvir sua voz,
E posso garantir que sinto e sinto falta,
Das tuas incertezas,
Tantas perguntas...

Me falta loucura, não a minha..., mas, as nossas...
Pelos caminhos, pelas horas, pelo tempo,
Pelo “pode não”, o não dever,
Pelo deserto desta rua ou esse escuro...

Me falta os teus sentidos e gemidos, depois de uma noite de bebidas,
O teu desejo de ser descoberta e descobrir,
A tua vontade de vencer,
O teu não querer, por querer...

É...
Falta em mim, ou talvez nem falte,
Pois, tenho certeza que aqui, em mim, ainda tem muito de você!


Pedro Drope (16/10/2015)

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Fim de Carnaval

Ela vem...
Espera o trânsito passar...
E com ele carrega o tempo que passa por nós,
Desligados desse cronometro da vida.
Somos o livre e o solto, o carinho e o conforto,
Exemplo de nós para nós...
Construção de fragmentos de pedras semanais,
Dia-a-dia de conversas infinitas,
Para e volta quando se tem vontade...  
Ausência e presença na mesma medida,
Nunca peso, leve pra sempre...
Sorrisos que misturam com segredos de pé de ouvido,
E que ninguém tem como saber quais são.
Feitos de ruídos e línguas.

Pronto!
Desejos dessas fantasias,
Danças de corpos que sorriem quando se tem grave,
Ou das piruetas que são sempre proibidas no meio do salão...
Mas, os beijos são permitidos sem fim.
Longos, curtos, melados ou mordidos... seja como for.. 
Sejam Palhaços, vermelhos e amarelos ou correndo nos blocos da vida,
Gostos e dengos...

Agora, Somos cama!

Resto de um carnaval sem fim.   

Pedro Drope (20/02/2015)




MAIS DE MIM:


[Facebook]
[Fotografias]
[O Bloco]
[E-mail/Skype]


NÚMERO DE TEXTOS: 143

INDIQUE ESTE BLOG:

Relicários